Comparativo: Apple Maps x Google Maps

O Apple Maps tem percorrido caminho longo em sua primeira década no mercado, mas o Google Maps também não parou de melhorar. Veja como os dois gigantes do mapeamento se comparam em 2022.

Houve um período de caos quando a Apple substituiu o Google Maps pelo Apple Maps em 2013. O novo Maps da Apple no iOS 6 gerou várias críticas, muitos usuários reclamaram de dados de posicionamento incorretos, roteamento ruim e problemas de renderização do Flyover e outras falhas críticas.

Os dados originais do mapa eram inferiores, as direções totalmente erradas e as imagens piores. A Apple tentou combinar várias fontes de dados em um aplicativo de mapa com resultados ruins.

Naquela ocasião foram inclusive disponibilizados aplicativos, ferramentas de mapeamento de terceiros da App Store Apple.

No entanto, a Apple agora teve dez anos para aproveitar essa falha inicial e criar um concorrente competente para o Google Maps – pelo menos nos Estados Unidos e algumas principais cidades ao redor do mundo. Em alguns casos a Apple até ultrapassou o Google em termos de experiência, conjunto de recursos e detalhes do mapa.

Design de aplicativo

Continua após a publicidade:

Muitas informações são apresentadas assim que um aplicativo de mapeamento é aberto e o que é mostrado informa as prioridades do aplicativo. No aplicativo da Apple, você vê o modo de exploração com a barra de pesquisa na parte inferior e pontos de interação mínimos. Já do Google , você vê vários ícones, menus, uma barra de pesquisa, barra de guias e locais próximos.

Reduza totalmente o zoom e veja como a interface do usuário difere

Com zoom reduzido vemos como a interface do usuário difere

Os paradigmas da interface do usuário revelam o quão diferente cada empresa espera que as pessoas usem seu aplicativo enquanto você navega. O Google espera ajudá-lo da maneira que puder, apresentando o máximo de dados que tiver a qualquer momento, enquanto a Apple mostra apenas quais informações são necessárias para uma determinada interação.

Ambos os métodos pode ser frustrantes. Com a Apple, pode não mostrar o que você precisa – como a forma como os nomes das ruas permanecem do mesmo tamanho ou ficam menores à medida que você aumenta o zoom para lê-los.

Com o Google, você pode decidir rapidamente para onde ir, mas pode ficar frustrado por não saber em qual botão clicar para começar.

Continua após a publicidade:

Essa metáfora de design se traduz em ambos os aplicativos. O Google se trata como um banco de dados de informações para aprender sobre uma área primeiro, com recursos de mapa em segundo plano. Mesmo recursos sociais, como compartilhamento de fotos e avaliações, estão mais à frente e no centro do Google do que seu mapeamento real.

Simplificando, o Google Maps se trata como um livro de ofertas. Você precisa saber como pesquisar as informações disponíveis para encontrar a única informação que vale a pena.

Google tem uma rede social inteira enterrada em seu aplicativo de mapeamento

Google tem uma rede social inteira enterrada em seu aplicativo de mapeamento

Por exemplo, dobra na parte inferior, a guia “Explorar” no Google Maps hospeda uma pseudo experiência de mídia social. Comentários de pessoas locais que fotografam e revisam locais, semelhantes ao Yelp, estão na frente e no centro aqui. Existe até uma opção para seguir pessoas e marcar o conteúdo.

Por outro lado, o Apple Maps adota uma abordagem que você poderia facilmente chamar de distante. Aqui, a barra de pesquisa é a porta de entrada para informações, e há dados mais detalhados à medida que você avança. No entanto, na frente, o Apple Maps se apresenta sempre assim: um mapa.

Existem recursos sociais no Apple Maps, como criar e compartilhar guias pessoais ou deixar fotos de locais. No entanto, esses recursos precisam ser descobertos e dificilmente estão à vista.

Continua após a publicidade:

Informação e precisão:

Os modelos 3D e a visualização de satélite da Apple são mais atraentes, apesar de terem menos dados que o Google

Os modelos 3D e a visualização de satélite da Apple podem ser mais atraentes, apesar de terem menos dados que o Google

Pela quantidade de dados presentes e disponíveis, o Google Maps ainda torna-se o melhor. Ele obtém sua vasta coleção de informações coletadas de empresas, sites, usuários e muito mais.

O Apple Maps também tem muitos dados, mas mesmo que use dados de crowdsourcing semelhantes aos do Google, não é proveniente de tantos locais, ainda são poucos os países atendidos de forma mais frequente na sua atualização. Além do mais, o projeto da Apple para Qualidade de Mapas ainda é recente tem entre 4-5 anos somente. Existem lacunas óbvias no conhecimento entre os dois aplicativos preenchidos pelo grande império de dados e buscas do Google.

Os dados não são tudo, no entanto, porque há um limite de funcionalidade e utilidade. Esse limite difere de pessoa para pessoa, mas nem todos precisam da massa de dados disponíveis no Google.

Continua após a publicidade:

Se você precisar descobrir onde uma empresa está, quando ela abre, como contatá-la e ver avaliações, você será atendido com qualquer um dos aplicativos de mapeamento. Mas o Google leva as coisas um passo adiante, listando tudo o que tem sobre um local, quase até um exagero. O Google mostra informações que a Apple não mostra, como opções de entrega, horários populares, menus em linha e muito mais.

No entanto, nenhum aplicativo está imune a erros, dados ausentes ou incompletos. Os usuários podem relatar problemas para qualquer mapa, embora ambos sejam conhecidos por respostas e correções imediatas.

Ou melhor, eles são para o que você poderia chamar de erros específicos. Por exemplo, uma estrada com o nome errado ou que agora está bloqueada para construção.

Dados e detalhes no Apple Maps variam de acordo com o local, enquanto o Google Maps é mais consistente

Dados e detalhes no Apple Maps variam de acordo com o local, enquanto o Google Maps é mais consistente

Falhas comuns: Onde ambos parecem falhar é com questões mais gerais:

Questões mais gerais são onde ambos parecem mais falhar.

Por exemplo, é comum no Reino Unido que as autoestradas cujo limite de velocidade é de 70 mph tenham pontes que atravessam estradas regulares, cujo limite é de 30 mph. Rotineiramente, a Apple dirá ao motorista da rodovia a velocidade mais lenta por uma milha ou mais.

Continua após a publicidade:

Não há nada pior do que procurar direções e acabar no lugar errado. Esta era uma ocorrência regular quando o Apple Maps foi lançado pela primeira vez há uma década . Agora, pelo menos se você estiver nos EUA, Reino Unido, ou algumas principais cidades do mundo, é muito menos provável, à medida que o projeto de mapas se expande e atende mais países.

Os dados de crowdsourcing do Google e a base de usuários ávidos significam que todas as construções, mudanças nos negócios ou prédios demolidos serão atualizados em questão de horas. Esse é o poder da máquina de dados do Google, e que a Apple ainda não pode igualar.

A Apple introduziu uma estimativa de atraso convincente para quando você atinge essas seções vermelhas da estrada. Como ambos os mapas mudam sua orientação e zoom para melhor apresentar as informações da rota, é difícil determinar a extensão de um trecho da estrada.

Então, onde você verá uma estrada marcada em cores diferentes, dependendo de quão movimentada ou lenta ela é, não havia uma maneira de interpretar quanto tempo a seção lenta é. O Apple Maps agora lhe dirá.

Continua após a publicidade:
O Apple Maps tem uma estimativa de atraso útil

O Apple Maps tem uma estimativa de atraso útil

É um pouco inconsistente, mas se você entrar em um trecho de estrada muito movimentado, depois de cerca de um minuto, ele sobreporá um tempo estimado que levará para passar por essa seção.

Essa estimativa provou ser altamente precisa, embora, consequentemente, você a procure imediatamente quando a estrada desacelera. Portanto, o tempo inconsistente para produzir os dados é estranhamente frustrante.

Como traçar rotas:

Ambos os aplicativos se destacam em simplesmente fornecer instruções passo a passo. Novamente, o Google oferece mais camadas de dados no topo, mas ambos levam você do ponto A ao ponto B de maneiras semelhantes.

Ambos também são excelentes em compartilhar seu tempo esperado de viagem. No Google Maps ou no Apple Maps, você pode optar por ter alguém – ou várias pessoas – notificadas de quando você chegará.

Continua após a publicidade:
Ambos os aplicativos são suficientes para obter rotas de A para B

Ambos os aplicativos são eficientes para obter rotas de ponto A para ponto B

Essa hora de chegada também é atualizada se houver atrasos significativos e é comprovadamente altamente preciso em uso.

O recurso Compartilhar ETA do Apple Maps pode ser confuso se você quiser compartilhar seu ETA quando outra pessoa estiver compartilhando com você. Muito razoavelmente, você não pode continuar vendo o ETA e a localização do mapa, pois o Apple Maps está mostrando sua própria rota.

Mas se você chegar ao seu destino primeiro, às vezes você não pode ligar de volta para o ETA do seu amigo.

Continua após a publicidade:

Dados adicionais do Google incluem a escolha de rotas mais econômicas para economizar combustível ou a intensidade do tráfego em uma rota. Ambas as opções permitem que os usuários evitem pedágios ou outros obstáculos.

O Apple Maps é ótimo para o deslocamento diário, encontrar um novo local em que você nunca esteve ou pesquisas gerais de informações comerciais. O Google, no entanto, tem um superpoder que a Apple ainda não implementou: o planejamento de viagens.

Se o Apple Maps é a ferramenta que você usa para mapeamento e direções do dia-a-dia, o Google é o planejador de férias que você pega uma vez por ano. Você pode planejar uma viagem com paradas, marcar locais e ter um itinerário completo para você.

Existem opções nas plataformas da Apple, como aplicativos de terceiros ou funções integradas do Apple Maps para quem nunca deseja usar um produto do Google. Por exemplo, em vez de planejar um itinerário passo a passo, você pode criar um guia no Apple Maps chamado “Road Trip” e listar todas as paradas que deseja fazer lá.

Dirigir, caminhar, transitar e andar de bicicleta

O Apple Maps usa seus dados 3D de forma mais agressiva enquanto o Google espera até você aumentar o zoom

O Apple Maps usa seus dados 3D de forma mais agressiva enquanto o Google espera até você aumentar o zoom

Tanto o Google Maps quanto o Apple Maps oferecem rotas para diferentes formas de transporte público, mas esses recursos variam muito com base na sua localização. Se você estiver em uma cidade com linhas de metrô, o Apple Maps e o Google Maps provavelmente oferecerão rotas usando essas linhas.

Continua após a publicidade:

Curiosamente, o Apple Maps tem um bom sistema para obter direções baseadas em transporte público que nem o Google pode comparar. Isso varia de acordo com a localização e a quantidade de informações que a Apple tem sobre essa área. É esperado que São Francisco ou Nova York sejam altamente detalhados, por exemplo.

Os dados de crowdsourcing do Google e o tempo no mercado oferecem uma vantagem sobre outras formas de transporte público. Se você precisar de rotas a pé ou de bicicleta por calçadas, trilhas e outros caminhos que não sejam de carro, o Google pode ser sua única opção na maioria dos países. Rotas para pedestre e ciclistas são ainda bastante limitados para o aplicativo da Apple.

A Apple começou a fornecer informações mais detalhadas para esses tipos de trânsito, mas você provavelmente só se beneficiará se estiver em cidades maiores. Também existem opções de terceiros criadas especificamente para rotas de bicicleta e caminhada, se a Apple e o Google não forem exatamente o que você espera.

Como relatar incidentes:

Relate um incidente ou adicione uma parada no menu de instruções de direção do Apple Maps

Relate um incidente ou adicione uma parada no menu de instruções de direção do Apple Maps

Continua após a publicidade:

Tanto a Apple quanto o Google obtêm informações sobre acidentes e construções de fontes semelhantes. Dados de crowdsourcing de motoristas usando seus respectivos aplicativos de mapeamento, juntamente com dados municipais sobre perigos nas estradas, geralmente são suficientes para obter os dados adequadamente representados.

No entanto, os motoristas podem fazer os relatórios com suas próprias mãos para ajudar a manter as informações atualizadas. Ao obter direções de qualquer tipo, um usuário pode inserir detalhes sobre um perigo que será registrado para exibição no aplicativo de mapas.

Em alguns casos, um usuário será avisado sobre um perigo listado existente e perguntado se ele foi eliminado.

Os recursos de relatório de ambas as plataformas são semelhantes, mas o Google oferece aos usuários mais opções de relatório. A Apple possui verificação de colisão, perigo ou velocidade, enquanto o Google possui colisão, lentidão, construção, fechamento de pista, veículo parado ou objeto na estrada.

Fora do mapeamento:

Explorando a sede do Google e da Apple em cada aplicativo

Explorando a sede do Google e da Apple em cada aplicativo

O Google trata seu aplicativo de mapeamento como uma rede social e com razão. Ele tem uma base de usuários em todo o mundo pronta para postar comentários, fotos e contas detalhadas de todos os lugares do planeta.

Continua após a publicidade:

A guia “Contribuir” ocupa um espaço importante e valioso no aplicativo do Google Maps, para que os usuários sempre tenham um lugar para onde ir e deixar comentários sobre um local. Essas informações são compartilhadas na folha proeminente “Mais Recentes” mostrada na visualização do mapa principal.

A Apple começou a explorar opções sociais em seu aplicativo de mapas, mas elas são, na melhor das hipóteses, incipientes. Os usuários podem deixar comentários por meio de um sistema de polegar para cima/para baixo (curtiu/não curtiu), mas não de texto. As imagens podem ser compartilhadas com os locais, mas as fotos do TripAdvisor ou Yelp geralmente são exibidas.

A iniciativa de dados de crowdsourcing para o Apple Maps está em seus primeiros momentos e provavelmente se tornará mais importante com o tempo. Por enquanto, os usuários podem continuar deixando classificações e fotos simples em locais na esperança de que se tornem mais proeminentes no aplicativo.

Em um movimento mais parecido com o da Apple, a empresa fez parceria com várias publicações para fornecer “Guias” profissionais para locais de viagem populares. Centenas desses guias estão disponíveis e podem ser pesquisados ​​com base na cidade, publicação ou tópico.

publicidade:

Os usuários da Apple podem criar seus próprios guias pessoais, mas estão limitados a apenas adicionar pinos ao mapa sem explicações ou comentários fornecidos pelo usuário. Estes podem ser compartilhados com outras pessoas, então é possível planejar uma viagem no Apple Maps, apenas diferente da abordagem do Google.

Privacidade:

Privacidade e coleta de dados são dois pilares significativos em qualquer discussão sobre os serviços da Apple e do Google. Ambas as empresas afirmam ter alta privacidade da conta do usuário, mas cada uma usa métodos radicalmente diferentes.

Políticas de privacidade para o Apple Maps:

A Apple coleta apenas os dados necessários para fornecer serviços e os mantém separados do ID Apple

A Apple coleta apenas os dados necessários para fornecer serviços e os mantém separados do ID Apple. O Maps não associa seus dados ao seu ID Apple e a Apple não mantém um histórico de onde você esteve. Recursos personalizados, como localizar seu carro estacionado, são iniciados diretamente no seu dispositivo. Os dados usados ​​para melhorar a navegação, como rotas e termos de pesquisa, não são associados à sua identidade. Em vez disso, essas informações são baseadas em identificadores aleatórios que mudam constantemente.

Em outras palavras, a Apple coleta apenas os dados necessários para manter o Apple Maps funcionando e até mesmo esses dados são anonimizados. A Apple tem muitas técnicas à sua disposição para garantir que os usuários permaneçam privados.

Por exemplo, quando uma pessoa solicita direções do Apple Maps, as informações da rota são divididas em várias partes usando identificadores diferentes para cada uma. Dessa forma, ninguém pode determinar onde uma pessoa começou a obter direções ou onde ela acaba, mesmo com os dados em mãos. E como os dados não estão anexados a um ID da Apple, quem recebeu as direções também não é identificado.

Os dados que a Apple obtém dos usuários, sejam de avaliações de crowdsourcing ou padrões de tráfego, nunca são usados ​​para publicidade ou venda para corretores de dados. A Apple não vende dados de nenhum tipo, nem tem um negócio de publicidade fora da App Store e do aplicativo Apple News .

Acrescente isso ao fato de que todos os dados coletados são anonimizados usando a Privacidade Diferencial. Basicamente, os conjuntos de dados coletados são separados em partes e, em seguida, o ruído aleatório é adicionado aos dados quando armazenados. Um observador aleatório não conseguia distinguir quais dados pertenciam a uma pessoa ou quais eram ruídos aleatórios, enquanto a Apple ainda ganha informações sobre análises de tendências mais amplas.

Não é que a Apple não colete dados, apenas coleta menos dados. E esses dados são cortados e anonimizados para evitar que a privacidade dos usuários seja violada por qualquer pessoa, incluindo a Apple.

Políticas de privacidade para o Google Maps

Google coleta muitos dados sobre seus usuários, mas promete proteger a privacidade

Google coleta muitos dados sobre seus usuários, mas promete proteger a privacidade

Usamos a tecnologia mais avançada, como privacidade diferencial, para proteger seus dados e criar recursos úteis – como ver o quão ocupado um lugar está para evitar a multidão.

Com seus dados no Maps, você pode visualizar e gerenciar facilmente seu Histórico de localização e outras configurações da conta. O Histórico de Localização está desativado por padrão. Quando você ativa o Histórico de Localização, ele pode ajudá-lo com previsões de trânsito em tempo real para seu deslocamento diário ou relembrar lugares que você visitou.

Como o Google afirmou, ele usa a Privacidade Diferencial para manter os dados anônimos ao realizar análises de tendências. No entanto, os dados anônimos não estão sendo usados ​​apenas para melhorar o Google Maps ou fornecer dados de tráfego atualizados.

Os dados que você fornece ao Google são usados ​​para análises de tendências mais amplas e venda para corretores de dados. Não, o Google não está vendendo seus dados diretamente para anunciantes ou corretores de dados, mas está usando seus dados para criar algoritmos e negócios de publicidade.

Essa coleta e análise de dados é central para toda a plataforma do Google. Toda pessoa que já interagiu com um serviço do Google, conta ou não, tem um perfil armazenado nos servidores do Google que é atualizado a cada interação e ponto de dados que a empresa pode coletar sobre esse indivíduo.

Essas informações são secretas e uma parte essencial da propriedade intelectual do Google, portanto, a empresa não compartilhará detalhes com seu nome anexado. Mesmo os funcionários não conseguem ver seus dados pessoais, pois todos são anonimizados quando chegam à parte de análise e algoritmo da empresa.

A diferença está na quantidade de dados que o Google coleta e como eles são armazenados. A Apple não associa dados a um ID Apple, mas o Google associa dados a contas.

É por isso que os anúncios podem aparentemente “seguir” você no espaço digital e no mundo real.

Para um exemplo específico, o Google pode ver seu trajeto para o trabalho e quais marcas você compra com seu cartão de débito e usar isso para determinar uma tendência para sua faixa etária em sua área, fazendo o mesmo trajeto todos os dias. Essas informações são usadas para informar a uma empresa exatamente onde comprar um outdoor em sua rota para garantir que você e todos os outros membros da sua demografia o vejam.

A Apple argumenta que a publicidade não precisa desses conjuntos de dados específicos para funcionar. Essa publicidade mais geral baseada em informações conhecidas e não pessoais poderia fornecer resultados semelhantes.

Qual é melhor?

O Apple Maps está lançando lentamente sua visualização 3D de desenho animado para as principais cidades dos EUA

O Apple Maps está lançando lentamente sua visualização 3D de desenho animado para as principais cidades dos EUA

Cada pessoa terá sua preferência, quer esteja no ecossistema do Google ou valorize a privacidade acima de tudo – mas pelo menos agora há duas opções de qualidade.

Como você se sente sobre as práticas de dados de cada empresa provavelmente influenciará em quais você confia e quais produtos você escolhe. Isso pode desempenhar um papel mais importante em sua decisão do que a confiabilidade ou a vastidão dos dados.

Dadas as informações disponíveis, podemos dizer com segurança que o Apple Maps é a escolha mais privada e sensata se você estiver em um lugar como os EUA ou o Reino Unido, onde possui os novos dados internos da Apple. O Google tem ótimos recursos que podem ser aproveitados até mesmo no iPhone, mas as vantagens em termos de privacidade são claras.

A nova experiência do Apple Maps com dados de mapas internos está se espalhando lentamente pelo mundo. Essa iniciativa não se espalhou para fora dos EUA , Reino Unido e Austrália, Canadá, mas está se espalhando. Você pode saber rapidamente se possui os novos dados do Apple Maps em sua área se os locais com folhagem forem mais detalhados e coloridos.

Ambas as empresas estão pressionando por melhores experiências de mapeamento em todos os aspectos. A Apple quer levar seus mapas lindamente detalhados com árvores e prédios animados para mais locais, enquanto o Google está de olho na criação de mapas 3D de interiores de prédios.

O próximo passo óbvio para ambas as empresas é o impulso para a realidade aumentada. O Google já sugeriu um futuro par de óculos AR, e há muitos rumores em torno do Apple Glass. A forma como essas empresas enfrentam essa nova fronteira pode mudar até as mentes mais teimosas.

Decidir em qual plataforma ficar se resume a uma escolha pessoal e, para a maioria, é o aplicativo padrão para seus respectivos smartphones.

Referências: Apple Maps, Google Maps, Apple Glass, Privacidade Diferencial; Crowdsourcing, Online Maps Quality Analyst, Política de Privacidade Apple, Política de Privacidade Google.

Adaptado de: appleinsider.com


Outros artigos úteis:

Author: mquality.adm

Comente...